15 setembro 2016

caberá num livro, todo o nosso universo artístico?


Gostarias de ver este livro?
Would you like to see this book?
この本をご覧になりたく無いですか?


 eis o livro-objecto que vai viajar comigo. com ele vou ao encontro do Outono no Japão. com ele vou semear muitos desejos. ele representa a minha obra em contínua investigação e descoberta. e esta viagem faz também parte do meu processo criativo e estou muito grata por se concretizar. quando regressar a esta janela, estou certa que irei trazer muitos fios que me vão ligar aos lugares, que por enquanto, ainda anseio descobrir. vou ali e já volto.


09 setembro 2016

vou ali e já volto...


 a OLIVA vai parar por uns tempos. não é porque vou simplesmente de férias. vou dar início a uma viagem. mas não é apenas uma viagem. todas as viagens: as mais próximas, onde chegámos com o olhar e mesmo as que se perdem no horizonte, são essenciais ao meu processo criativo. nelas busco não apenas "inspiração", ela é antes um reencontrar o olhar novo. o deslumbramento pelo que nos rodeia. os sentidos despertos. o deixarmo-nos guiar pela intuição. o deixarmo-nos guiar pelo inesperado... e tudo de maravilhoso pode acontecer. e quantas viagens já fiz também aqui no meu estúdio, ao pedal da minha querida OLIVA. o meu trabalho não se define num espaço e num tempo específico da minha vida, ele é a minha vida, e tudo nela faz parte... sou um todo. 
 com as minhas mãos materializo o meu universo artístico. com elas continuo a semear de diversas formas. e sinto que esta viagem vai passar a fazer parte de mim e transfigurar-se para o meu universo artístico.
 comigo levo um livro-objecto. quantas sementes viajam aliás comigo. quantas sementes vou desejar semear. continuo esta jornada de semeando a terra que há em mim por isso vou ali e já volto...



07 setembro 2016

olhar desta perspectiva sentada debaixo da "Árvore de Casa"


... e hoje no estúdio, depois de regressar de visitar alguém de quem gosto muito, sentei-me no chão debaixo da minha "Árvore de Casa". olhei desta perspectiva, por detrás da folha que nasceu junto ao pé das raízes da "planta-mãe", e lá ao longe duas linguagens plásticas do meu universo criativo. dois universos que coabitam em mim. ambos fazem parte de mim. num e noutro encontro o equilíbrio. estou a aprender a encontrar esse equilíbrio, a entender o lugar de cada um sem anular coisa alguma. por enquanto não encontro nas palavras como dizer que sou a mesma pessoa e em ambos falo de mim... um dia saberei como dizer.
[tão bom perceber que também no nosso trabalho, outras pessoas podem viver dentro]

um dia repleto de sincronias... [7 de setembro 2016]

05 setembro 2016

APRESENTAÇÃO da nova colecção by vÂniA kOstA



 muitas criações estão a ser seleccionadas para fazerem parte de uma nova colecção. esta peça, os enamorados, é de 2012 e vai regressar em formato XXL. ao longo destes anos foram várias as criações que nasceram das minhas mãos. muitas foram sendo descontinuadas, mas outras valem a pena regressar. 

 fiquem atentos. para dezembro vou ter muitas novidades em tamanho que vais conseguir abraçar.

01 setembro 2016

semeando...


 podemos semear de tantas formas. e as sementes podem ligar pessoas, lugares, memórias, formas de ser e de sentir. eu continua a semear... de diversas formas. e para o outro lado do mundo vou levar comigo algumas destas sementes. o que a terra me irá trazer? no outono é tempo de semear.

31 agosto 2016

UM DIA SAIO À RUA para vestir paredes


 Existe uma janela da cidade de Braga onde partilho algumas das minhas obras com todos os que vêm à rua passear. Actualmente, nas nossas ruas, vê-se cada vez mais intervenções artísticas provando que os detalhes fazem falta para que as pessoas possam sonhar. E se o meu olhar apreende e encanta-se com muitos pormenores invisíveis, existem imagens extraordinárias de graffitis que se assumem na existência dos espaços públicos. Mas existem tantas outras formas de arte que podem habitar as nossas cidades e as nossas aldeias. Um dia também gostava de pintar uma parede na rua. Entretanto, e porque tenho muitos retalhos de tecido a aguardarem por mim, os meus murais são de pano.

 Porque os nossos desejos às vezes apressam-se mais do que as nossas capacidades, aqui partilho este desejo: Um dia saio à rua, para vestir paredes.

A G O S T O. um ano I dez meses I trezentos e sessenta e seis dias


  um mês a pensar e a preparar a chegada do outono para semear.

29 agosto 2016

desenhando com os fios...


 sobre a mesa de trabalho tenho iniciadas diversas obras. às vezes salto de uma para a outra. às vezes é difícil tomar decisões no processo criativo. tudo se torna mais fácil quando nos deixamos guiar pela intuição e pelas surpresas que o processo em si nos revela. estar atento ao inesperado é simplesmente fantástico. esta peça era para ser proposta a um concurso mas acabei por tomar outra decisão. e às vezes como é difícil tomar certas decisões. o nascimento desta obra ainda não tem data marcada, será quando sentir que chegou o momento de olharmos e ficarmos relativamente mais convencidos que não falta mais nada. quando me decidir sobre a tal Exposição Individual, prometida há anos, este trabalho fará sem dúvida parte da colecção. por enquanto com os fios vou continuando a traçar caminhos, delineando silhuetas...